VLT de Brasília terá audiência pública nesta terça. Via Internet

PPP de Mobilidade – A Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob/DF) realizará, amanhã, 14 de abril, a Audiência Pública referente à concessão patrocinada do Sistema Integrado de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na Avenida W3, em Brasília.

O evento será transmitido ao vivo pela internet, entre 10h e 12h. A medida da Semob/DF está de acordo com o Plano de Contingência Distrital do GDF, que determinou a suspensão de todos os eventos presenciais no Distrito Federal, como forma de prevenção e combate ao coronavírus.

Qualquer pessoa poderá participar da audiência, por meio de manifestações na forma de texto ou áudio que deverão conter a identificação do interessado.

Com a decisão de realizar o evento com transmissão online, a Semob estendeu também o prazo para apresentação de contribuições escritas, até o dia 30 de abril de 2020. Com exceção dos prazos e da forma de participação, ficam valendo todos os demais critérios previstos no Aviso de Consulta e Audiência Públicas, publicado no Diário Oficial do Distrito Federal em 12 de março de 2020.

Serviço:

Consulta e Audiência Públicas – PPP para Implantação do VLT

Apresentação dos estudos de modelagem técnica, econômico-financeira e jurídica, e respectivas minutas de Edital e Contrato que subsidiarão futura licitação para contratação de parceria público-privada.

Período para envio de sugestões: até 30 de abril de 2020

E-mail para Contribuições: consultavlt@semob.df.gov.br

Audiência Pública Online: 14 de abril de 2020, das 10h às 12h

Para assistir a transmissão, acesse o Canal da Semob no Youtube

Sugestões podem ser enviadas para o whatsapp (61) 99228-0824 em formato de texto, áudio ou vídeo. Os participantes devem informar seu nome e o item dos Estudos de Viabilidade ou da Minuta de Edital e Contrato a que se refere a contribuição. Não serão aceitas contribuições com conteúdo impróprio ou impertinente ao objeto desta Audiência.

Projeto prevê 24 estações

A proposta do GDF é manter uma faixa exclusiva de 22 km de extensão para circulação das composições que ligarão o final da Asa Norte ao Aeroporto Internacional Presidente Juscelino Kubitscheck. A linha ocupará as faixas de cada pista da W3 próximas ao canteiro central, que será reformulado. As outras duas ficarão reservadas aos veículos particulares.

Ao longo das Asas Norte e Sul serão construídas 24 estações do transporte, além de quatro entre o final da W3 Sul e o terminal aeroviário. Um sistema de sinalização inteligente dará livre tráfego ao transporte, sem parada em semáforos.

O VLT vai substituir todas as linhas de ônibus que chegam de outras regiões administrativas ao Plano Piloto e passam pelas vias W3 Sul e Norte. Ao final de cada uma delas, esses ônibus deixarão os passageiros no Terminal da Asa Sul (TAS) ou da Asa Norte (TAN). Ali o passageiro fará a integração para o transporte sobre trilhos, com o custo da passagem incluído no bilhete único de integração.

Cada veículo terá 45 metros com sete seções e seis articulações, com capacidade total de até 560 passageiros. As estações instaladas no canteiro central da via seguirão os modelos do transporte já em funcionamento no Rio de Janeiro e em Santos, com características similares às de uma plataforma de metrô.

Quiosques comerciais de modelo padronizado fazem parte do projeto e devem ser construídos ao longo do canteiro central. Para dar vazão às quadras transversais, calçadas e ciclovias serão construídas de modo a ligar as quadras 600, na parte baixa do Plano Piloto, às 900, na parte superior.

[FONTE]: https://www.mobilize.org.br/noticias/12023/vlt-de-brasilia-tera-audiencia-publica-nesta-terca-via-internet.html

Estudos de Excelência em PPP de Mobilidade

Infraestrutura no Brasil é um mercado extremamente promissor. Só para o subsetor de Transportes, já se prevêem licitações com investimentos da ordem de R$ 208 bilhões em 30 anos.

As concessões e PPP de Mobilidade são uma excelente oportunidade de investimento no Brasil dentro do setor de Infraestrutura. E são vários os motivos para Mobilidade estar em alta: mercado gigante, bons retornos e disponibilização de boas garantias, etc.

Mas é importante ter cuidado. Estudos mal feitos levam a perder tudo o que foi falado acima e fazer todos os envolvidos perderam tempo e dinheiro. É alarmante: dos estudos que chegam à fase de licitação, 27% são posteriormente paralisados ou cancelados, simplesmente por falta de viabilidade.

A solução aqui é entrar no jogo para vencer. Uma PPP de Excelência no setor de Mobilidade aborda os seguintes pontos críticos:

* a remuneração correta:

* o reajuste preciso:

* o financiamento balanceado:

* a cesta de garantias correta:

* o prazo ideal:

* a taxa de retorno justa:

* o “payback” honesto:

* o “break even” coerente:

* um estudo confiável:

* o benefício público claro e transparente:

* a alocação de riscos coerente:

* o “Value for Money” exato;

* a ponderação entre Técnica e Preço;

* a eficiência tributária e societária;

* a contabilização correta do ICPC-01

Por isso aproveite o grande erro da grande maioria dos licitantes: o principal erro da concorrência em PPPs é a entrega estudos de baixa qualidade. Imagine-se do lado da Administração Pública recebendo esses estudos: você preferiria escolher o estudo “menos pior” como vencedor e sofrer as consequências de defendê-lo frente aos organismos de controle? Ou escolheria simplesmente não dar seguimento ao Projeto? Obviamente, a segunda opção.

Mas há como você tirar vantagem desse ambiente de “desprofissionalização” dos concorrentes: entregar trabalhos de qualidade, virando uma referência de excelência para o Poder Público.

Veja outro artigo sobre PPP de Mobilidade: http://pppdemobilidade.com.br/2020/05/11/se-e-para-falar-de-pro-brasil-que-se-fale-mais-de-investir-em-mobilidade/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *